Por vários anos, embora não seja amplamente conhecido, é comemorado o Dia da Saúde Sexual, por ocasião da festa de São Valentim. Por esse motivo, a Sociedade Mundial de Medicina Sexual (ESSM) está celebrando seu congresso mundial, sendo este ano em Luvijana, Eslovênia, onde centenas de médicos, urologistas, andrologistas, ginecologistas, sexólogos e psicólogos de todo o mundo participam.

Seria apropriado, na ocasião desta celebração, ver as causas e os desenvolvimentos atuais no tratamento da Disfunção Erétil (DE), um dos problemas mais frequentes do homem e que exigem uma solução, dadas as consequências que isso implica.

A incidência

Aproximadamente 40% dos homens entre 40 e 70 anos têm um problema de ereção, aumentando com a idade, dentro da maioria desses homens além de sofrer com a impotência, eles ainda sofre com a ejaculação precoce e deseja aprender como nao gozar rapido para que possa satisfazer sua parceira na cama.

Por outro lado, os homens exigem cada vez mais uma solução para o desejo de permanecer mais ativo sexualmente, com maior expectativa de vida e realizando, em muitos casos, vida sexual até idades avançadas.

A disfunção erétil, por outro lado, é de grande importância médica, uma vez que às vezes é a doença sentinela que alerta para uma deterioração da circulação cardiovascular, permitindo que problemas cardiovasculares sejam descobertos antes que ocorram, como ataques cardíacos.
É também a causa de graves problemas psíquicos, pois causam uma deterioração da auto-estima, depressões e alterações no relacionamento.

Definição de Disfunção erétil (DE) ou impotência sexual é definida como “a impossibilidade de ter uma ereção de qualidade suficiente para satisfazer a si e a seu parceiro”.
O paciente deve saber que a ereção surge do rápido aumento de sangue nas artérias do pênis quando ocorre estimulação e excitação sexual e, portanto, os tratamentos são baseados no aumento desse suprimento sanguíneo.

Causas

As razões ou causas mais frequentes de disfunção erétil são diabetes, hipertensão, problemas cardiovasculares, como ataque cardíaco; insuficiência renal, apneia do sono, colesterol alto, obesidade, distúrbios depressivos e maus hábitos, como tabagismo, falta de exercício e dieta desequilibrada, além de estresse.

Também existem casos secundários e derivados de cirurgias como câncer de próstata ou retal, lesionando vasos e nervos que afetam a ereção.

Além das causas médicas, existem causas psicológicas que requerem a colaboração de psicólogos e sexólogos. Este tipo de disfunção erétil geralmente ocorre em homens jovens.

Atualmente, o DE tem vários tipos de tratamentos, começando com medicamentos orais que produzem vasodilatação das artérias do pênis, como Viagra e outros similares, com bons resultados em 70-80% dos pacientes. Para os que não respondem, o Alprostadil é utilizado como uma injeção ou creme intra cavernoso.

O último avanço que temos em nossa clínica são ondas de choque. É baseado no fato de que seu mecanismo de ação produz uma formação de angiogênese de novos vasos sanguíneos e, ao mesmo tempo, aumenta o número e o calibre das artérias do pênis, melhorando a entrada de sangue e promovendo a ereção.

Quando o paciente melhora, seu efeito é mantido ao longo do tempo; em alguns casos, não é necessário usar pílulas ou diminuir a dose. Também foi comprovado que os pacientes que não responderam ao uso de Alprostadil (Caverject) tornaram-se respondedores.

É um tratamento feito ambulatorialmente no mesmo consultório e sem efeitos colaterais.

A taxa de resposta positiva em pacientes com DE de origem vascular é uma melhoria de 80%.
Nos pacientes que não respondem a nenhum dos tratamentos mencionados acima, o implante ainda está sendo implantado.